Cerca de 900 imigrantes haitianos são atendidos em mutirão para regularização de documentos

Por Repórter Jota Silva
A regularização de documentos garante os direitos dos imigrantes haitianos. Vitor Arrabal / PMM

Com o objetivo de garantir os direitos dos imigrantes haitianos, a Prefeitura de Maringá, por meio da Secretaria de Juventude, Cidadania e Migrantes (Sejuc), em parceria com a Embaixada do Haiti, promoveu entre os dias 25 e 27 deste mês um mutirão para regularização de documentos, de forma gratuita.

A ação realizou emissão e renovação de passaporte, carteira de identidade e cerimônia de casamento. Cerca de 900 pessoas de Maringá e outras 30 cidades foram atendidas nos três dias do mutirão. Ao todo, seis casamentos foram celebrados pela embaixadora do Haiti no Brasil, Rachel Coupaud.

A regularização de documentos garante os direitos dos imigrantes haitianos, como explica a secretária de Juventude, Cidadania e Migrantes, Ana Nerry. “Com o mutirão, 900 imigrantes haitianos tiveram suas documentações regularizadas de forma gratuita e sem precisar ir até Brasília, o que facilita muito. A regularização de documentos garante outros direitos como empregabilidade, acesso à educação e saúde, entre outros serviços”, destaca.

Durante o mutirão, que ocorreu no Teatro Calil Haddad, foram atendidos imigrantes haitianos que residem em Maringá, Apucarana, Arapongas, Astorga, Atalaia, Cambé, Cascavel, Cianorte, Cidade Gaúcha, Curitiba, Floresta, Flórida, Foz do Iguaçu, Jaguapitã, Loanda, Londrina, Mandaguaçu, Mandaguari, Marialva, Paiçandu, Paranavaí, Pérola, Ponta Grossa, Rolândia, Sabáudia, São Tomé, Sarandi, Toledo, Umuarama e Palotina, além de Joinville (SC).

A regularização de documentos garante os direitos dos imigrantes haitianos. Vitor Arrabal / PMM