Aumento de pacientes renais no Brasil requer atenção

Por Redação Saiba Já News
Aumento de pacientes renais no Brasil requer atenção

O crescente número de pacientes renais no Brasil tem gerado preocupação. A doença renal crônica (DRC), caracterizada pela perda lenta, progressiva e irreversível das funções renais, impede que os rins funcionem adequadamente. Segundo o Censo Brasileiro de Diálise de 2021, a quantidade de pacientes em diálise crônica tem aumentado constantemente, e os reflexos da pandemia de COVID-19 ainda são observáveis.

E esse cenário é um reflexo mundial. De acordo com o artigo CKD: The burden of disease invisible to research funders, em 2040, DRC poderá ser a 5º principal causa de mortes no mundo. Diversas causas estão relacionadas à doença renal crônica, como hipertensão arterial, obesidade, problemas circulatórios e doenças hereditárias, entre outras. A hemodiálise é um dos tratamentos dialíticos utilizados, sendo uma terapia de substituição renal que filtra e depura substâncias indesejáveis do sangue (creatinina e ureia) em pacientes com insuficiência renal aguda e crônica.

Apesar dos avanços nos tratamentos, muitos pacientes renais, especialmente aqueles em hemodiálise, apresentam disfunções musculares significativas, principalmente nos membros inferiores, dificultando as atividades diárias. Segundo o estudo “Effectiveness of inspiratory muscle training on respiratory fitness and breathlessness in chronic renal failure: A randomized control trial”, a realização de treinamento de fortalecimento muscular durante o tratamento de hemodiálise pode melhorar significativamente as funções respiratórias e reduzir a falta de ar dos pacientes.

Neste estudo, durante o programa de intervenção de 8 semanas, foi analisado o impacto do treinamento dos músculos inspiratórios em 50 pacientes renais crônicos submetidos à hemodiálise, observando os efeitos na aptidão respiratória, na qualidade de vida e na sensação de falta de ar.

Desenvolvimento de tecnologias para pacientes

Acompanhando esse cenário, há disponíveis no mercado equipamentos que visam avaliar o exercício da musculatura respiratória. Segundo Renata Oliveira, Fisioterapeuta da Hab Latin America, empresa importadora e exportadora de equipamentos, a utilização de soluções específicas para a respiração, podem ser aliados no treinamento muscular respiratório durante a hemodiálise, por exemplo. “Dessa forma, o treinamento muscular respiratório pode ser mais eficaz na redução de sintomas como falta de ar e fraqueza muscular, comuns nesses pacientes, melhorando assim sua qualidade de vida”, explica Renata Oliveira.

No campo da nefrologia, a PlanoAr – Gestão e Reabilitação em Nefrologia é uma das empresas atuantes na área. Com ênfase na reabilitação de pacientes nefropatas, a organização utiliza equipamentos para avaliação e treinamento da musculatura respiratória, fornecidos pela HAB Latin America, tanto em atendimentos domiciliares quanto em clínicas parceiras. A abordagem adotada visa auxiliar pacientes que lidam com os desafios da doença renal crônica e da hemodiálise.