Aumento de casos de sífilis preocupa autoridades em Goiás

Por Redação Saiba Já News
Aumento de casos de sífilis preocupa autoridades em Goiás

No estado de Goiás tem sido registrado um aumento no número de casos de sífilis em 2022. Dados do Ministério da Saúde apontam que, até o momento, já foram notificados mais de 7 mil casos da doença no estado. Esse aumento tem preocupado autoridades de saúde e profissionais da área, que temem pelo impacto na saúde materno-infantil e na população em geral.

De acordo com especialistas, a principal forma de prevenção da sífilis é o acompanhamento médico durante o pré-natal e a realização de exames para detectar a doença. Além disso, é fundamental que a população esteja informada sobre as formas de transmissão e como se prevenir. O aumento de casos de sífilis no estado de Goiás reforça a importância da conscientização e da adoção de medidas preventivas para evitar a disseminação da doença e garantir a saúde da população.

O pesquisador Doutor Carlos Augusto de Oliveira Botelho, da UniGoyazes, publicou um livro sobre a sífilis em gestantes no estado de Goiás, Brasil. O estudo revelou um aumento na prevalência da doença entre as mulheres grávidas, com um índice de 0,80%, próximo da média nacional. A pesquisa teve como base uma amostra de 879.831 gestantes e foi conduzida ao longo de anos de trabalho dedicado ao tema.

Embora o programa de proteção a gestantes (PEPG) tenha atingido uma boa cobertura de 67,17%, os resultados indicam uma tendência crescente de casos de sífilis na população estudada. O acompanhamento médico do pré-natal e a triagem desde o início da gravidez são considerados estratégias importantes para diminuir a prevalência de agravos e complicações. O Ministério da Saúde recomenda pelo menos seis consultas para realização de exames, incluindo sífilis.

Seguindo as recomendações do CDC dos EUA, é fundamental que haja atendimento precoce para todas as pessoas com diagnóstico de IST – Infecções Sexualmente Transmissíveis, incluindo sífilis, e seus parceiros sexuais, a fim de interromper a cadeia de transmissão. A pesquisa de Botelho permitiu detectar um número maior de casos de sífilis em relação ao sistema de vigilância do estado de Goiás.

O livro publicado pelo pesquisador chama a atenção da sociedade para a importância da prevenção e do tratamento da sífilis em gestantes. O objetivo é melhorar a saúde materno-infantil, uma vez que a sífilis pode causar complicações graves durante a gravidez, como aborto espontâneo, parto prematuro, baixo peso ao nascer, além de poder ser transmitida para o feto.

A UniGoyazes, como instituição de ensino, tem um papel importante na disseminação de informações e no incentivo à pesquisa científica. O trabalho do pesquisador Dr. Carlos Augusto de Oliveira Botelho se fundamenta no propósito de conscientizar a população, com a publicação do livro sobre a sífilis em gestantes no estado de Goiás. É fundamental que a sociedade esteja atenta aos resultados da pesquisa e se engaje na prevenção e no tratamento da doença, visando garantir uma gravidez saudável e um futuro melhor para mães e filhos.