Uso da tecnologia otimiza atendimento a investidores

Por Redação Saiba Já News
Uso da tecnologia otimiza atendimento a investidores

A oferta crescente de fundos e ativos financeiros no mercado brasileiro, aliada aos investimentos no exterior e a possibilidade de adesão a diversas contas em diferentes instituições financeiras, têm moldado o setor de investimentos no país.

Conforme os dados mais recentes divulgados pelo Banco Central (BC), referentes a maio de 2023, os brasileiros já possuem, em média, 5,18 relacionamentos com instituições financeiras diferentes, o que inclui contas correntes, investimentos, além de outros bens. Esse cálculo foi feito dividindo o número de CPFs e CNPJs ativos e com algum vínculo no Sistema Financeiro Nacional pelo número total de relacionamentos identificados pelo BC no período analisado.

Para uma comparação, em maio de 2018, esse número de relacionamentos era de apenas 2,17. Portanto, houve aumento de quase 140% em cinco anos.

De alguns anos para cá, a abertura de contas em bancos ou corretoras tornou-se algo descomplicado, um processo menos burocrático e que pode ser feito de forma 100% digital, via aplicativos.

Com o avanço do setor, há cada vez mais alternativas para a diversificação dos investimentos à disposição no mercado.

De acordo com Maxim Wengert, CEO da Quantum Finance, empresa especializada em ferramentas de inteligência de mercado e soluções para gestão estratégica de carteiras, os profissionais do setor de investimentos têm recorrido a tecnologias avançadas para lidar com a organização do volume de informações financeiras dos investidores, espalhadas em diversas instituições.

“Esse movimento já ocorre de forma mais intensa em economias desenvolvidas como Estados Unidos, Reino Unido e outras nações europeias. Nessas localidades, a utilização de consolidadores ou agregadores de dados financeiros e de investimentos avança a passos largos”, afirma o CEO. O especialista explica ainda que, no Brasil, isso tudo está apenas começando e irá ganhar mais impulso com modelo Open Finance.

A implementação do Open Finance no país já está em curso, seguindo uma agenda do Banco Central. O objetivo é oferecer mais liberdade para clientes e investidores escolherem com quais instituições querem se relacionar, por meio do compartilhamento de dados financeiros de seus interesses.

 

Tecnologia para o mercado financeiro

Considerando o cenário promissor, a Quantum Finance desenvolveu uma solução de consolidação e monitoramento de carteiras. Com a utilização da ferramenta, assessores, consultores, planejadores financeiros e gestores de patrimônio que indicam ativos ou assessoram os investidores, podem ter a visão global do portfólio dos investidores.

“Acompanhar os investimentos em uma única ferramenta contribui para o desenvolvimento de estratégias alinhadas aos objetivos de cada investidor”, explica Wengert, que realizou diversas pesquisas com clientes para o desenho da funcionalidade.

O consolidador de carteiras gera gráficos, indicadores e relatórios que buscam auxiliar os clientes na tomada de decisões. Também é possível fazer a gestão e análise de carteiras, a partir de informações como rentabilidade, risco, liquidez, ganho financeiro e contribuição de cada ativo ou estratégia nos resultados globais.

Além disso, a ferramenta permite acompanhar eventos passados e futuros relacionados aos ativos como dividendos, cupons, amortizações e vencimentos dos papéis.

E, quanto às movimentações, os profissionais têm a possibilidade de fazer a importação automática e massiva dos dados das transações direto no sistema.

O CEO da Quantum sinaliza que a interação com os investidores também pode ser fortalecida. “Os usuários podem gerar relatórios e compartilhar diretamente com os investidores via e-mail ou por acesso mobile”, observa. Uma das consequências do uso da tecnologia para automatizar processos é liberar tempo para as atividades consideradas estratégicas. “Assim o assessor pode focar na análise técnica das carteiras, no atendimento ao cliente e na captação de novos clientes”, ressalta Wengert.

No que diz respeito à base de dados, a solução reúne informações que permitem avaliações quantitativas e qualitativas de fundos, dados de segmentos específicos do universo de investimentos, indicadores fundamentalistas de companhias abertas, produtos disponíveis nas prateleiras das plataformas digitais de investimentos e bancos, informes sobre tendências e notícias do mercado.

Uma funcionalidade recentemente implementada foi a Política de Custos, que busca contemplar diferentes formas de cobrança de taxas de administração e performance sobre as carteiras geridas. Outro lançamento em destaque foi o de targets personalizados, que permitem fazer um eficiente controle de risco de enquadramento para checar o limite inferior e superior de alocação dos investimentos, ou seja, faixas percentuais que podem ser aportadas em cada ativo.

“Temos muitas outras funcionalidades no nosso pipeline de desenvolvimento, que logo serão lançadas”, avisa Maxim Wengert, CEO da Quantum.

Ele destaca também que soluções Quantum Finance contam com a tecnologia exclusiva Atom Expert System (AES), lançada há 10 anos e em constante evolução, que usa inteligência artificial para fazer cruzamentos de dados e oferecer informações. 

 

Para mais informações sobre tecnologia para o mercado financeiro, basta acessar o site da Quantum.