Interesse por DIU como método contraceptivo aumenta 105% no Brasil

Por Redação Saiba Já News
Interesse por DIU como método contraceptivo aumenta 105% no Brasil

As buscas por informações no Google relacionadas ao DIU aumentaram 105% entre 2017 e 2022, segundo dados disponibilizados pelo Google Trends. A crescente procura mostra um interesse maior das mulheres por esse método contraceptivo. 

Para Vinicius Guadagnin, médico ginecologista, obstetra e sexólogo do Eco Medical Center, qualquer mulher que tenha o desejo ou a necessidade, pode colocar o DIU. “As pacientes têm procurado cada vez mais um método contraceptivo de longa duração, que traga segurança, conforto e um impacto hormonal menor. Por isso as mulheres têm escolhido o DIU. Independente do fato de ser o DIU de cobre ou o hormonal, esse é um dos métodos mais eficazes para evitar uma gravidez, e apresenta diversos benefícios em relação às pílulas anticoncepcionais”, afirma Guadagnin. 

Além de evitar o risco de uma gravidez por esquecer de tomar as pílulas diariamente e no horário certo, o DIU proporciona mais segurança na prevenção de uma gestação e apresenta uma interferência menor no metabolismo, segundo Guadagnin. “O DIU é muito superior ao anticoncepcional quando falamos em qualidade contraceptiva, até porque ele protege muito mais de acordo com os estudos. Ele tem duração de 5 anos, pode ser retirado a qualquer momento, e interfere menos no metabolismo e na produção de hormônios sexuais femininos”, explica.

Tipos de DIU

Atualmente existem dois tipos de DIU. Os não hormonais, que são de cobre ou cobre com prata, e os hormonais (Mirena e Kyleena), ambos compostos por uma progesterona chamada levonorgestrel. A diferença é que, além de atuar como contraceptivo, o DIU hormonal proporciona um controle do sangramento uterino normal e diminuição de cólicas, sendo uma das principais indicações para mulheres com endometriose.

Precisa de anestesia para colocar o DIU?

O processo para colocar o DIU é rápido, prático, seguro e muitas vezes indolor. O médico ginecologista explica que algumas mulheres mais resistentes à dor preferem o procedimento sem anestesia, mas normalmente é aplicada anestesia local para fazer a inserção do DIU. “Algumas pacientes, inclusive, têm um limiar de dor mais baixo. Essas pacientes são elegíveis para que se realize a inserção do DIU em centro cirúrgico, com sedação. O mesmo é indicado para meninas e mulheres que ainda não tiveram a primeira relação sexual mas desejam o colocar o DIU”, afirma o Dr. Vinicius, que ressalta que o DIU não tem restrição mínima ou máxima de idade. 

A coordenadora e gestora do Centro Cirúrgico do Eco Medical Center, Laís Fuchs diz que os benefícios de colocar o DIU em um centro cirúrgico vão desde a diminuição de risco de infecções, até o conforto e a tranquilidade durante todo o procedimento. “A paciente não sentirá dor ou qualquer desconforto, uma vez que estará sedada, e acompanhada com equipe multidisciplinar (médico, anestesista, equipe de enfermagem e farmácia). Após recuperação, a paciente é encaminhada para ultrassonografia transvaginal para avaliação do posicionamento do DIU”, afirma. 

Contraindicações

Mulheres que apresentam anormalidades anatômicas que podem distorcer a cavidade uterina, infecções pélvicas atuais, sangramento vaginal inexplicado, gestação ou câncer de colo de útero ou de endométrio conhecido não têm indicação médica para inserção do DIU e devem conversar com um ginecologista para avaliar outros métodos contraceptivos se necessário.