MS vai propagar vídeos do Paraná sobre vigilância ambiental contra a dengue

Por Repórter Jota Silva
Ministério da Saúde vai difundir vídeos do Paraná sobre vigilância ambiental contra a dengue. Foto: SESA

O trabalho realizado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), por meio da Vigilância Ambiental, no enfrentamento e combate ao vetor transmissor da dengue, chikungunya e zika foi reconhecido pelo Ministério da Saúde (MS). Quatro vídeos produzidos pela Escola de Saúde Pública do Paraná (ESSP) foram escolhidos nesta semana pelo governo federal para serem distribuídos e replicados a todos os estados da federação como apoio no controle ao Aedes aegypti.

O material mostra como fazer os procedimentos de aplicação a ultra baixo volume (UBV) com equipamento costal – que é uma forma de aplicação de inseticida como “névoa” –, utilizando o inseticida Cielo. Os vídeos explicativos demonstram como fazer a limpeza, aferição, aplicação e manutenção desse equipamento e do produto. As reproduções duram cerca de cinco minutos e estão disponíveis no site da pasta.

Esse tipo de técnica é usada para bloqueio dirigido de casos de dengue em determinados locais, principalmente em áreas com acesso privado. O jato é acionado diretamente no local que pode reunir focos do mosquito.

O boletim mais recente da dengue registra 66.289 casos confirmados e 51 óbitos no atual ano epidemiológico (desde agosto do ano passado). São 345 municípios das 22 Regionais de Saúde com casos confirmados. As regionais com mais casos confirmados são Londrina (23.773), Foz do Iguaçu (8.683), Maringá (7.049), Paranaguá (4.398) e Paranavaí (4.194).

Com esse cenário, o Paraná aguarda o envio do novo inseticida Fludora Co-Max pelo Ministério da Saúde, que adquiriu o produto por meio de compra internacional. Ele foi aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e será aplicado em 14 estados.