Maringá é uma das três cidades do Paraná entre as melhores do mundo em ranking de startups

Por Repórter Jota Silva
Imagem de drone da região central de Maringá com vista da catedral. Foto: Roberto Dziura Jr./AEN

Três cidades do Paraná figuram entre as melhores do mundo para startups segundo o ranking do Startup Ecosystem Index Report 2023, divulgado nesta terça-feira (30). Curitiba, Londrina e Maringá são apresentadas entre as mil localidades globais com melhor ambiente para a implantação e desenvolvimento de empresas inovadoras.

O relatório mundial é elaborado anualmente pelo instituto israelense StartupBlink. Ele funciona como um centro de pesquisas de referência internacional, faz o mapeamento de ecossistemas para startups em 100 países com base em critérios como ambiente de inovação, facilidade para abertura e desenvolvimento de negócios, quantidade e qualidade das empresas de tecnologia instaladas.

Segundo o secretário de Estado da Inovação, Modernização e Transformação Digital (SEI), Marcelo Rangel, a gestão estadual tem concentrado esforços para que o Paraná consiga atrair cada vez mais investimentos de empresas do ramo de tecnologia e inovação. Ele cita como exemplos a elevação da antiga Superintendência de Inovação à atual pasta que comanda, a regulamentação da Lei Estadual de Inovação e do Fundo de Inovação das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Paraná.

“Temos um cenário muito promissor para startups e queremos alavancar ainda mais o Estado, com nossos ecossistemas regionais trabalhando em parceria com os municípios e a iniciativa privada”, afirmou.

Recentemente, a equipe da secretaria também compôs uma comitiva internacional liderada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior em visita à Portugal. A delegação paranaense conheceu detalhes do funcionamento do Taguspark, que é o maior parque de ciência e tecnologia do país europeu, e visitou o Hub Creativo do Beato, que funciona como um centro de convivência para startups, empreendedores, profissionais criativos e freelancers do segmento.

Curitiba, capital do Paraná.

CURITIBA – Entre as cidades paranaenses, quem lidera é Curitiba, em 140º em nível mundial. O ranking internacional é liderado por São Francisco, nos Estados Unidos. Nova York (EUA), Londres (Reino Unido), Los Angeles (EUA) e Boston (EUA) completam o top 5.

A capital do Estado também aparece na 6ª colocação entre as cidades da América Latina, além de estar na vice-liderança nacional, em ambos os casos liderados por São Paulo. Curitiba é mencionada como o berço de unicórnios – startups avaliadas em mais de US$ 1 bilhão – no Sul do Brasil, contendo os três únicos do País fora de São Paulo.

Na cidade, estão a sede do Ebanx, que é referência em serviços de processamento de pagamentos; a MadeiraMadeira, maior plataforma de produtos para casa da América Latina; e o Olist, especializado em serviços de e-commerce para pequenos varejistas.

De acordo com o prefeito da Capital, Rafael Greca, iniciativas como o Vale do Pinhão, que funciona como uma incubadora de startups, e a Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, que ajuda empresas de inovação e tecnologia a se consolidarem na cidade, contribuem para o reconhecimento de Curitiba como um bom local para empreendedores.

“O Vale do Pinhão, nosso ecossistema de inovação, cresceu exponencialmente nos últimos cinco anos graças ao espírito criativo e empreendedor das nossas startups. Com o uso da tecnologia e da inovação como ferramentas para a melhoria da vida dos nossos cidadãos, conseguimos oferecer a eles uma cidade realmente inteligente”, afirmou.

O secretário de Estado das Cidades, Eduardo Pimentel, lembra que este é o terceiro ano consecutivo em que Curitiba aparece no segundo lugar no Brasil. “O relatório comprova que o Paraná é uma potência em inovação, tecnologia e nova economia”, disse.

Maringá, 07 de novembro de 2022 – Imagem de drone da região central de Maringá com vista da catedral. Foto: Roberto Dziura Jr./AEN

MARINGÁ – Na 735ª colocação em nível mundial, Maringá aparece como a 18ª melhor cidade do Brasil para startups. Considerada uma das melhores cidades do País para se viver, a cidade no Noroeste do Paraná possui três startups classificadas no Startup Ecosystem Index Report 2023.

A Tindin, uma fintech focada em plataformas educacionais para crianças; a Dinvo, que oferece sistemas de caschback e cupons de desconto para o ecommerce; e a Datlo, que funciona como uma plataforma de geointeligência para empresas e profissionais de vendas e marketing.

Por meio da Agência Maringaense de Inovação e Tecnologia (Amtech), a prefeitura lançou no início deste ano um edital de inovação. Baseado em uma lei municipal de 2017, o projeto já selecionou iniciativas para serem testadas nos órgãos municipais visando dar agilidade aos serviços prestados aos cidadãos. Algumas aprovadas após o período de experiência começaram a ser implantadas de forma definitiva pela administração.

No início deste mês, o prefeito Ulisses Maia sancionou a lei municipal que cria o Programa Sandbox Maringá. A iniciativa institui o funcionamento de ambientes experimentais para testes de inovação científica, tecnológica e empreendedora, inclusive de ferramentas em que ainda não há previsão legal. Dessa forma, as empresas poderão realizar testes de novas soluções inovadoras de forma isolada e em ambiente seguro.

Londrina. Foto: José Fernando Ogura/ANPr

LONDRINA – Segunda maior cidade do Estado, Londrina é a 779ª melhor cidade do mundo e a 28ª do Brasil para empresas de inovação segundo o ranking da StartupBlink. Desde 2018, a prefeitura incentiva a formalização de parcerias com startups locais por meio de editais de soluções inovadoras coordenados pelo Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel). A administração municipal também foi parceira recentemente do Techstars Startup Weekend,

No ranking mundial, destacam-se entre as startups londrinenses a Appegada, uma rede social focada em serviços para donos de animais de estimação; a Trace Pack, que oferece um sistema de gestão de colheita florestal e de maquinários agrícolas; e a Doiim, uma desenvolvedora de softwares especializados em serviços ligados a criptomoedas e inteligência artificial.

RANKING – O Startup Ecosystem Index Report faz o ranking dos melhores ecossistemas para startups a partir de algoritmos que analisam dezenas de milhares de dados de empresas, aceleradoras e espaços de coworking, bem como dados recebidos de mais de 100 parceiros globais.

“Mais de 100 governos trabalharam conosco na preparação do relatório deste ano por compreenderem o cenário e entenderem que um bom ecossistema de startups é um motor futuro do crescimento econômico e que o poder público deve ter um papel ativo no apoio ao crescimento de suas startups”, afirma o CEO da StartupBlink, Eli David.